sexta-feira, 20 de abril de 2012

Escritores

Às vezes eu tenho uma necessidade enorme de me expressar, de escrever, de ter algo para contar. Quando isso acontece, me pego no meio do dia pensando em como eu poderia publicar algo por aqui. Suspeito até que, ao fazer isso, estou publicando o tal pensamento na minha cabeça, e que ao escrevê-lo estaria sendo repetitiva. Então, resolvi usar da metalinguagem para escrever esse post.

Acho que a escrita serve para que você possa se sentir mais à vontade. Muitas vezes não conseguimos nos expressar verbalmente, nesses casos, só nos resta optar pela escrita. Uma carta, um e-mail, uma publicação, uma pichação, um recado... Existem muitas formas de colocar para fora uma palavra que poderia sair torta de nossas bocas.

Eu gosto de escrever, já disse isso por aqui em outras chances. Quando o faço me sinto mais leve, mais sincera, mais intensa, mais Jéssica. Gosto de escrever sobre diversas coisas, mas sou melhor quando escrevo sobre algo que faz parte da minha vivência. Gosto mesmo é de contar minhas histórias, de expor minha vida através de histórias fictícias e de me declarar a personagens imaginários que são frutos de desejos mais reais possíveis.

Uma vez, um amigo me disse que preferia quando eu contava da minha vida no blog, ao invés de escrever drops de hortelã. Mal sabia ele que essas histórias começaram como fruto de uma relação real e muitas outras leituras e questionamentos reais. Outra amiga me disse que gostava das histórias porque se identificava com os personagens, ou ainda, desejava que eles fossem reais. Eu espero realmente que eles não sejam, porque eu me acho em cada um deles, mas também me perco.

Queria que vocês também pudessem me escrever, então, estou abrindo um espaço e resolvi lançar um desafio a mim, ao blog e aos meus amigos. Quinzenalmente às sexta-feira eu vou publicar algo que algum dos meus amigos escreveu, de preferência especialmente para esse blog, mas não obrigatoriamente. Serão textos livres e eles poderão falar de qualquer coisa, sobre si, sobre os outros, sobre a vida, de forma real ou fictícia, ganhando a tag escritores. Espero mesmo que funcione, porque quero muito descobrir o escritor que existe dentro de cada um deles, e quem sabe, fazer nascer seu próprio blog e despertar em mim o desejo de escrever mais e mais.

Aguardo ansiosamente conseguir cooptar alguém para nos fazer mais felizes por aqui. Escrevam-me.

Com amor,

Jéssica.

segunda-feira, 16 de abril de 2012


"[...] Deitados juntos pela primeira vez e o dia seguinte foi tão gostoso que parece que ainda não terminou. Não sei quantas vezes te deixei bem triste, não sei se comigo foi feliz, ou não. Não sou exatamente o cara mais fácil que existe mas posso te dizer que para sempre te trarei dentro do meu coração."

Nando Reis

O amor sempre vale a pena

     "Se você está sofrendo por causa de um amor perdido, eu tenho más notícias: não há nada que você possa fazer. E não há ninguém que possa ajudar. Na melhor das hipóteses, você vai ter um amigo paciente pra levá-lo a um bar e ouvir suas queixas e, eventualmente, buscar você em um bar e leva-lo pra casa com segurança, nos dias que você se comportar feito um bobo. Na verdade, até existe alguém capaz de curar sua dor, mas esse alguém não costuma ter pressa: ele se chama tempo.
     Portanto, procure levantar sua cabeça e dar um passo adiante, por menor que seja, porque você ainda tem um longo caminho a percorrer dentro desse inferno. Ter pena de si mesmo não vai ajudar em nada, e por mais que você que não acredite, eu posso te garantir que você sente algum prazer em cultivar esse sofrimento. Sim, estar triste é uma forma de exercer a paixão, quando o alvo dessa paixão já se foi. Você está usufruindo o seu direito de viver eternamente apaixonado. Isso é ótimo, prova que você é um romântico. Mas, coisas ótimas não costumam ser baratas, e você tem que pagar seu preço.
     Em algum momento, tudo isso vai passar. E nesse caso, quando o furacão for embora, ele não deixará destroços, tudo estará no seu devido lugar, como se nada tivesse acontecido. Você vai recuperar suas noites de sono. Vai se sentir revigorado, vai tá feliz consigo mesmo, vai levantar sua auto-estima. Você vai tá pronto pra entregar seu coração à outra pessoa, mesmo correndo o risco de parti-lo em mil pedaços novamente, porque o amor... sempre vale a pena."
Ela: O que te atrai em mim?

Ele: Deixa eu ver... Tipo fisicamente?

Ela: Tipo atração. O que te atrai, pode ser fisicamente, temperamentalmente...

Ele: Me atrai a forma que você me domina, tua perversidade sutil, o jeito que você se veste, tua raiva...

(per)seguidores

No Google+