sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

retrospectiva 2010



Ano Novo trás esse lance de reflexão, de lembrar-se do que passou e tentar se organizar para o que nos espera mais na frente. Particularmente, eu gosto muito disso, sinto o clima mais ameno, as lembranças se tornam pássaros que rodeiam nossas cabeças e no fundo a gente percebe que bem ou mal, tudo passa goela abaixo... Como disse Rafael Cortez: "O final de cada ano sempre representa o final de um ciclo. E, ao término desse ciclo, sempre vem outro e mais outro... e sempre melhores que os anteriores, como tem que ser sempre.”.

Em 2010 minha vida foi bem agitada, mais do que eu imaginava. Eu mudei minhas prioridades, meus pensamentos e visões. Eu alterei meus horários, meus hábitos e meus vícios.

Entrei pra Universidade! Tornei-me uma estudante de ensino superior, descobri que quando se é bixo, você não sabe de muita coisa e quando deixa de ser, se não for atrás continua sem saber.
Acho que não dá pra sair de lá sem mudar nada, você passa a querer bem ao lugar onde frequenta; começar a gostar de ver a galera dos outros cursos; de conhecer as pessoas mesmo não falando com elas... Eu aprendi muitas coisas na UECE, não só academicamente falando... Aprendi que não rola não ter um grupo de amigos, não rola empurrar com a barriga ou fazer as coisas nas coxas, tem que estudar mesmo! Vi que os professores podem ser velhas corocas e não saberem de nada; serem doidos varridos e engraçados; serem monstros no que fazem, mas não terem tanta didática assim... Eles podem ser irônicos 100% das vezes que falam com você; eles podem ser lindos, jovens, inteligentes e terem medo de aprender com a gente...
A aula pode ser boa, chata, entediante, divertida, o que vale mesmo é a presença; que Xerox é cara pra caralho; o Parajana é seu companheiro diário, mas raramente não está lotado...

Além da universidade eu não assumi nenhum outro compromisso, entre aspas, mas eu cumpri com algumas coisas que me programo a fazer: Fui aos stand-ups do Marco Luque e do Felipe Andreoli. O Stand-up cresceu pra mim, mas ainda não o desvinculei do CQC, apesar de não assistir ao programa como no ano passado, troquei o CQC por noites de sono, saídas... Mas voltando ao humor, o Ceará trouxe esse ano o Rogério Morgado, o Felipe Hamachi, o Fábio Rabin, o Luís França, o Diogo Portugal, o Adnet e eu não fui a nenhum deles... Tá mais do que na hora de gostar não de quem faz, mas do formato! Vi O Improvável Espetáculo de Improvisação da Cia Barbixas de Humor e adorei! Eu fui a shows que tive vontade, como do Jota Quest, Nando Reis duas vezes, Pitty, Los Hermanos *-*, Paralamas... Cumpri minha meta de assistir a média de filmes que os brasileiros assistem no cinema: 8 (Alice no País das Maravilhas 3D; Remember me; Fúria de Titãs; Eclipse; Comer, rezar e amar; Tropa de Elite 2; Gente Grande; Relíquias da Morte I). Li aproximadamente 15 livros, entre eles: Harry Potter E As Relíquias Da Morte, O Menino do Pijama Listrado,Lua Nova, Eclipse, Amanhecer, Nunca Antes na História Desse País, Eu Sou o Mensageiro, A Última Música e estou lendo Pequena Abelha e Nick e Norah #culturamodeon.

Alguns acontecimentos tiveram também uma importância a mais durante o ano, eu passei no concurso do IBGE, eu fiz parte do Censo 2010 [/lixa. Trabalhei durante uns 3 meses. Percebi que tenho um sério problema de ânimo. No começo, "dou o gás", mas com o tempo me desmotivo e isso atrapalha meu desempenho. Devo ter cuidado com isso no futuro.

Eu paguei um mico na internet, fazendo parte do Projeto Sub Mundo pro Danilo Gentili e ele cagou pro vídeo, hahaha. Mas o melhor de tudo foi conhecer pessoas como a Cinthia Ribeiro e a Gabriele e dividir com elas o amor pelo louco do Danilo e pelo Los Hermanos - lê-se Amarante -; conversar com elas naquele Ceará Music e sentir um pouco mais deles através delas foi incrível! 


Eu votei pela primeira vez e meu voto trouxe consequências pesadas, mais pra mim do que para o Brasil. Foi uma das coisas que mais me tocaram em 2010, as últimas lembranças dos heróis da infância se extinguindo...


Eu sou OFICIALMENTE Madrinha de Crisma da Priscyla e isso é muito importante pra mim, apesar dela não pedir a benção sempre --'', mas eu sei a responsabilidade que esse cargo trás, quero ter orgulho dele e fazer com que ela nunca se arrependa de ter me escolhido.

E para completar os fatos mais importantes, fui convidada para assumir a Equipe Dirigente EJC no ano de 2011, o ano mal começou e milhares de coisas já me lotam. Meus amigos reclamam da minha agenda lotada e o Paulo Filho, vulgo Rafinha Bastos me apelidou de Oprah, #podeumnegóciodesses?!

No plano mais pessoal, as coisas melhoraram muito de um modo geral. Minha família enfrentou algumas crises, brigas e desentendimentos, mas aos poucos eu consigo me colocar no lugar do outro e isso é muito importante para um relacionamento diário. Algumas amizades se consolidaram de vez, como as Pimponas. Não tenho palavras pra descrever a relação e a importância de cada uma delas na minha vida. A Priscyla viveu ano de pré-vestibular... Mas como eu sou a piormelhoramigadomundo, eu continuei contando minhas angústias e crises a ela; continuei ligando e passando horas no telefone! (Se ela não passar a culpa não é minha :P, hahaha) Eu também fui uma boa amiga né, dividir amor, amparo, vivência. Dei dicas, livros, carões... Com a Priscyla é desde sempre e para sempre ♥. Os Malucos'Beleza, como intitulei os meninos que estudaram comigo no São Vicente, continuam firmes e fortes na parceria, apesar de não ser a amiga que eles merecem... E descobri que as Meninas da UECE não são só as meninas que fazem trabalho comigo - elas são grandes amigas também! Isso também vale para o Adriano, o João, o Léo, a Lívia, a Mariana, o Lucas que não é mais só o irmão da Priscyla, o mesmo vale pra Luiza que não é só a irmã do Dudu, que foram especiais em algum ou vários momentos de 2010. E que falar dos amigos de sempre e para a vida toda? Meus irmãos, o Saulo, o Vitor, a Sarah e mesmo os mais distantes, que sempre são uns amores comigo, o Bruno, o Rafael, o Nereu, o Gui. Manter essas relações em 2010, no meio de toda minha correria e desorganização, foi um desafio. Teve gente que não aguentou e zarpou, e eu lamento muito. Aos que toparam seguir comigo sabendo que os próximos anos serão ainda mais intensos, fica a promessa: tentarei, na medida do possível, não faltar tanto e ser a(s) Jéssica(s) que vocês precisam e querem ter.


Quanto aos homens, eu não tive muito sucesso... Eu não sou fácil! Esse foi o ano de me encantar muitas vezes por personagens de filmes, livros e seriados, eu fantasiei demais e deixei o real passar. Tornei-me um tanto exigente e isso me faz fechar o ano (mais uma vez) sem marido - mesmo pegando o buquê em um casamento -, namorado, paquera, esquema, "papel". Mas tô feliz. Sei que coisas boas estão me aguardando e esse ano eu refleti pra não repetir erros e evitar trocar os pés pelas mãos.


Quero terminar esse último texto do ano agradecendo a todos que fizeram desse blog um espaço de leitura e entretenimento. Lamento ter escrito pouco, mas isso foi reflexo do ano atribulado que tive. Espero que todos tenham uma ótima virada de ano e que façam de 2011 uma maravilha de 365 dias inesquecíveis! 

Drummond disse uma vez que para um Ano Novo "Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumadas, nem parvamente acreditar que, por decreto de esperança, a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações..." só precisamos saber que dentro de si cada um sabe onde buscar o que nos faz feliz.

O que de melhor aconteceu na sua vida? E o que você vai deixar pra trás, nem quer olhar? Amou muito? Sofreu? Chorou?

Adeus ano velho, feliz ano novo ♫

Fidelity

Fidelity - Regina Spektor


(Shake it up)
I never loved nobody fully
Always one foot on the ground
And by protecting my heart truly
I got lost
In the sounds



I hear in my mind
All these voices
I hear in my mind
All these words
I hear in my mind
All this music
And it breaks my heart
And it breaks my heart
And it breaks my ha-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aart
And it breaks my ha-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aart


Suppose I never ever met you
Suppose we never fell in love
Suppose I never ever let you
Kiss me so sweet
And so so-o-o-o-oft


Suppose I never ever saw you
Suppose you never ever called
Suppose I kept on singing love songs
Just to break
My own fall
Just to break my fa-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aall
Just to break my fa-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aall
Just to break my fa-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aall
Break my fall
Break my fall


All my friends say
That of course it's
Gonna get beh'uh
Gonna get beh'uh
Beh'uh, beh'uh, beh'uh, beh'uh
Behtur, bettur, betterrrr, ohhh...



I never loved nobody fully
Always one foot on the ground
And by protecting my heart truly
I got lost
In the sounds


I hear in my mind
All these voices
I hear in my mind
All these words
I hear in my mind
All this music
And it breaks my heart
And it breaks my heart
I hear in my mind
All of these voices
I hear in my mind
All of these words
I hear in my mind
All of this music
And it breaks my heart
And it breaks my heart
It breaks my ha-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aart
And it breaks my ha, ah, ah, ah, art
And it breaks my ha-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah, ah-ah-ah-aart
And it breaks my heart
Breaks my heart
And it breaks my heart
And it breaks my heart
And it breaks my heart
And it breaks my heart

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Amor pelo saber, e, particularmente...

Há uns dias atrás acordei e me dei ao luxo de dormir mais 20 min, fiz as contas e percebi que por mais cedo que eu levantasse, acabaria perdendo esses 20 min fazendo algo que me chateasse, então resolvi canalizá-los da forma mais positiva que eu encontrei... :D 

A aula era de revisão, cheguei meio sem jeito, estava atrasada, detesto chegar depois do professor, mas fui me chegando... rsrs
As meninas gostam de dizer que eu sou apaixonadinha por ele, mas é mentira pura! Só porque eu pesquisei o nome dele no Google, rsrs :$, qual problema tem nisso?
Bom ele é um cara legal, deve ser eu acho, ele é bem reservado, mas dá pra ver o quanto ele sabe das coisas, o quanto ele domina o assunto... como é lindo ele falando nome dos caras filósofos da Rússia, da Alemanha, todos com nomes mirabolantes... *-*


A aula foi bem agradável, principalmente porque era de revisão e a gente foi revisando, ah vá :P,  tudo que tínhamos visto e não havia ficado tão claro. Além disso, teve uma pequena introdução das duas próximas correntes que vamos estudar. Como das outras vezes, achei que gostarei mais delas do que das atuais.

Bem que eu gosto de Filosofia, mas ela me deixa inquieta e não sei se isso é normal...

Depois da aula, eu tinha uma pergunta, uma coisa que não havia saído da minha cabeça em um desses momentos de inquietação, mas pareceu que todo mundo tinha algo a dizer a ele, foi engraçado até, meninas...
Minha dúvida, no fundo, já tinha uma resposta, mas queria ter a confirmação do filósofo. É bom conversar com quem entende, além disso, saber mais sobre pessoas misteriosas é interessante... Ele me indicou um texto do Nietzsche, mas eu não sei se quero essa inquietação não, ele se acostumou com as dele #comopode?!

Eu gosto desse contato aluno-professor. Acredito que grandes lições são passadas assim. Mas meu professor parece um tanto tímido pra isso, talvez porque ele seja quase da nossa idade, tem 23 :O, e sei lá né...

Por ele ser um tanto fechado, costumamos - falo no plural porque não faço só, mas também não vou delatar as coleguinhas ;) #dobem - imaginar o que ele faz fora da sala, como ele deve ser com os amigos, que tipo de música escuta ou que ele escreve além do mundo filosófico...

Não sei, só sei que queria conhecê-lo, de verdade, conversar sobre coisas boas, ruins, tentar entendê-lo, se é que ele quer ser entendido - eu não quero! - ... mistérios...

espetáculo

Em momentos de medo e insegurança procuramos a melhor maneira de nos defender. Algumas pessoas afastam aquilo que lhes fazem mal, outras se disfarçam, vestem máscaras e fogem do que lhe assustam e poucas enfrentam esse medo.

No post anterior o strip-tease é dividido em etapas. Eu reflito de maneira pessoal que venho "me despindo" há algum tempo:

1. A máscara.
Costumamos demonstrar só o que temos de melhor. Ninguém sai expondo suas fraquezas, suas falhas, seus erros... Só demonstramos a beleza, a felicidade, a força, e isso cansa! Cansa tanto pro "ator" quanto pros espectadores. Vez por outra eu me pego pensando nisso e percebo o quanto tenho abuso dessas máscaras que muitas vezes usamos. Às vezes, pode ser só timidez, uma defesa particular, vai saber... Nomeei as coisas que mais detesto nas pessoas e cinismo e falsidade ganharam em disparada. Acho interessante quando a pessoa "dá a cara a tapa", mostra quem é, demonstra suas inseguranças e é explicito com seus sentimentos.

2. Arrogância e Pudor.
Eu acho que sou bem arrogante às vezes e sei que isso não é legal. Quem trata as pessoas com arrogância não respeita o próximo e contribui para uma sociedade sem escrúpulos, com diferenças, totalmente contra os valores que se prega. Muitas vezes a arrogância vem junta com o orgulho e aí que a coisa desanda. O ser orgulhoso pode precisar de você em um momento crucial, mas prefere ficar sem realizar o projeto a pedir ajuda ou dar o braço a torcer. Ceder é bom às vezes sabem...
No caso do pudor, eu não acho que sou despudorada, rsrs Eu sou bem ajustada e resolvida nesse sentido, sinto desejos, vontades, como toda e qualquer jovem, mas eu sei lidar com eles e eles não me frustram nem me sufocam, pois é assim que me sinto quando tem algo que me deixa angustiada.

3. Medo
Acho que minha máscara do medo ainda está em mim. Não consigo lidar bem com o amor, talvez porque não o tenha encontrado com tanta intensidade. Eu tenho medo de gostar das pessoas e de perdê-las logo adiante. Por isso me protejo e não me entrego totalmente. Crio barreiras que ainda não foram superadas...

Sei que a cada reflexão me conheço mais e isso me torna mais mulher e mais viva! As experiências sempre trazem lições e com calma, todas as respostas são reveladas.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Strip-Tease


"Chegou no apartamento dele por volta das seis da tarde e sentia um nervosismo fora do comum. Antes de entrar, pensou mais uma vez no que estava por fazer. Seria sua primeira vez. Já havia roído as unhas de ambas as mãos. Não podia mais voltar atrás. Tocou a campainha e ele, ansioso do outro lado da porta, não levou mais do que dois segundos para atender.

Ele perguntou se ela queria beber alguma coisa, ela não quis. Ele perguntou se ela queria sentar, ela recusou. Ele perguntou o que poderia fazer por ela. A resposta: sem preliminares. Quero que você me escute, simplesmente. Então ela começou a se despir como nunca havia feito antes.

Primeiro tirou a máscara: "Eu tenho feito de conta que você não me interessa muito, mas não é verdade. Você é a pessoa mais especial que já conheci. Não por ser bonito ou por pensar como eu sobre tantas coisas, mas por algo maior e mais profundo do que aparência e afinidade. Ser correspondida é o que menos me importa no momento: preciso dizer o que sinto".

Então ela desfez-se da arrogância: "Nem sei com que pernas cheguei até sua casa, achei que não teria coragem. Mas agora que estou aqui, preciso que você saiba que cada música que toca é com você que ouço, cada palavra que leio é com você que reparto, cada deslumbramento que tenho é com você que sinto. Você está entranhado no que sou, virou parte da minha história."

Era o pudor sendo desabotoado: "Eu beijo espelhos, abraço almofadas, faço carinho em mim mesma tendo você no pensamento, e mesmo quando as coisas que faço são menos importantes, como ler uma revista ou lavar uma meia, é em sua companhia que estou".

Retirava o medo: "Eu não sou melhor ou pior do que ninguém, sou apenas alguém que está aprendendo a lidar com o amor, sinto que ele existe, sinto que é forte e sinto que é aquilo que todos procuram. Encontrei".

Por fim, a última peça caía, deixando-a nua "Eu gostaria de viver com você, mas não foi por isso que vim. A intenção é unicamente deixá-lo saber que é amado e deixá-lo pensar a respeito, que amor não é coisa que se retribua de imediato, apenas para ser gentil. Se um dia eu for amada do mesmo modo por você, me avise que eu volto, e a gente recomeça de onde parou, paramos aqui".

E saiu do apartamento sentindo-se mais mulher do que nunca."
Martha Medeiros

explicações e esclarecimentos no próximo post...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Atchim!

Tumblr_lc9ckoemhz1qb4s4ao1_500_large
Eu  sei que faz muito tempo que não apareço, dá até impressão que abandonei o blog... Mas "n" fatores me impediam de estar por aqui, inclusive o próprio blogger.

Não sei se é só comigo, mas por mais de uma vez eu tentei voltar à postar ou à continuar a escrever um post antigo, mas o blogger não permitia.
Então acabei me conformando só com o tumblr e fui gostando. Posso até dizer que faço "sucesso" lá, rsrs... Pode ser graças a plataforma, que facilite o contato por coisas em comum, pode ser que o sucesso tenha me subido a cabeça :P...
Mas a saudade daqui, da Jéssica de verdade, foi mais forte e eu queria contar o que me sucedia!
 Depois de insistir e insistir consigui fazer esse post! Ele vem tirar a poeira e avisar que o Nem tão simples assim está de volta! [aêêêêê o/]

Vou me organizar, tenho muita coisa pra contar e um computador novo :D, ou seja, tem tudo pra dá certo! Me ajudem sim?!
:]

P.S: É possivel que eu mude de endereço, tô procurando uma plataforma melhor, mas com toda a personalidade que tenho por aqui... qualquer coisa aviso :*



quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Birra

Eu já contei aqui que eu tenho uma lista com várias coisas que eu quero contar aqui, mas dessa vez eu não quero contar nenhuma delas. Não que elas não sejam importantes, mas que eu não tô com saquinho pra fazê-las. Tenho que contar novidades, eu como sempre atrasada por aqui, mas também não é isso.
Na verdade, eu não sei do que falar, ou seja esse é mais um texto chato e prolixo, que roda, roda e não chega em lugar nenhum - essa é a hora de fechar a janela #ficadica.

Bem dramático até agora né? rsrs Pois bem, era tudo enrolação enquanto não vinha inspiração.
Gosto muito de escrever aqui. É uma satisfação saber que pessoas lêem o que escrevo, que se identificam, que apreciam meu jeito, porque essa sou eu. Mas é muito difícil escrever sem saber a reação de vocês. É como dar aula, como o professor vai saber a quantas anda a turma se ela não responde à ele. Tudo precisa de um retorno e se eu não o tenho de vocês. Eu posso até ter o que contar, mas não tenho empolgação pra fazê-lo.
Preciso saber se tá dando certo, se vocês concordam com o que penso ou se discordam e o porquê disso, logicamente.

Então, faço como uma menina birrenta que sou, só volto se sentirem minha falta, se o que escrevo aqui é realmente importante. Ou não, talvez eu volte porque quero dividir com vocês minhas coisas, quem vai saber?

Aguardo resposta.

Jéssica Maria.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sentimental

Eu sei que estou em falta com vocês, mas estou mais em falta comigo mesma.
Como eu já disse, agora eu tenho um tumblr, ele já não tem o mesmo endereço de antes, hoje ele é "anônimo". Lá eu escrevo outros tipos de coisas e além de gostar mais do tipo de publicação desse outro domínio, tenho passado mais tempo lá, me encontrado mais lá.
Na verdade, eu quis fugir. É eu quis sim, eu queria não ter que encarar a realidade, não ter que me confrontar comigo mesma. Mas o chato é que uma hora ou outra isso tem que acontecer. A fuga só serve como intervalo, pra você respirar, beber uma água e se preparar, pronto. Estou pronta.

Pois bem, chega de melosidades, o que me fez escrever esse post foi uma descoberta! Lembram-se que a quase um mês atrás eu escrevi um post dizendo que buscava por uma música que traduzi-se o que eu sentia/sinto? Ele era algo como uma música querida, mas ainda não a "escolhida", essa se chama Sentimental, também dos Los Hermanos.
Confesso que Sentimental foi uma das últimas músicas deles que aprendi, que conheci. Acho que é por isso que não a percebi na "primeira busca". Pra terem uma idéia, só a escutei porque tocou no show que eles fizeram no SWU, e queria saber cantar todas as músicas no Ceará Music (conto depois), além do que sempre tive preguiça de buscá-la, mesmo ela sempre sendo alvo da maioria dos elogios que escuto sobre a banda.

O quanto eu te falei?
Que isso vai mudar
Motivo eu nunca dei
Você me avisar, me ensinar
Falar do que foi pra você
Não vai me livrar de viver

Quem é mais sentimental que eu?
Eu disse e nem assim se pôde evitar

De tanto eu te falar
Você subverteu o que era um sentimento e assim
Fez dele razão pra se perder
No abismo que é pensar e sentir

Ela é mais sentimental que eu
Então fica bem
Se eu sofro um pouco mais

"Se ela te fala assim, com tantos rodeios, é pra te seduzir e te
Ver buscando o sentido daquilo que você ouviria displicentemente.
Se ela te fosse direta, você a rejeitaria."

Eu só aceito a condição de ter você só pra mim
Eu sei, não é assim, mas deixa
Eu só aceito a condição de ter você só pra mim
Eu sei, não é assim, mas deixa eu fingir e rir.

Los Hermanos

Composição: Rodrigo Amarante

Essa é uma das músicas mais difíceis e complexas que  eles têm. Isso porque proporciona diversas interpretações. Tem gente que acha que fala de uma relação pai-filha; tem que ache que é um casal e ainda quem considere a hipótese de um triângulo amoroso. Mas como já dizia Rodrigo Amarante: "Nossas músicas não são enigmas a serem desvendados. Arte não é pra ser entendida e sim sentida, interpretada. Se existe uma lacuna ela é pra ser preenchida."


Pra mim, trata de um relacionamento entre um casal, talvez um ex-casal.
Ele diz que já havia avisado a ela que as coisas mudariam, apesar de sempre ser o mesmo. Ela tenta guiá-lo para dar um rumo a relação, mas ele não acha que falar do que foi pra ela, nas outras experiências, não vai livrá-lo de passar por elas no relacionamento. 
Ele é um cara sentimental, relembra que tentou prevení-la, mas não foi o suficiente para evita o que aconteceu.
De tanto ele repetir o mesmo pensamento ela acabou criando uma confusão sobre o que ele realmente sentia e ocorreu um grande mal entendido. Ela fez desse mal entendido razão para que as coisas se perdessem entre o que sentia com ele e o que pensava quando estava sozinha.
Ele acaba notando que ela é mais sentimental que ele. Por amá-la, ele quer que ela fique bem, e respeita o tempo que ela precisa, mesmo que isso o faça sofrer mais.
Ela está confusa não sabe se vai não direto ao assunto e busca os mínimos detalhes do que já tinha ouvido antes dele de maneira displicente ou ela simplesmente aceita os fatos, abandonando sua singularidade, que tanto desperta interesse nele e correndo risco de ser rejeitada.
Ele reforça a idéia que não quer perdê-la, que deseja tê-la ao seu lado. 
Ele sabe que isso não é tão simples, mas ele quer preservar suas lembranças e poder fantasiar e rir, imaginando qual será a decisão dela no futuro.

Depois de escutar tanto essa música, tanto pela letra a ser aprendida, quanto pela melodia que pede que se repita, eu notei que não existe outra que não respondesse pelo que passo. Assim como no caso de Pierrot, eu não sou apenas uma das personagens da música, eu consigo me encontrar tanto no papel dele, quanto no dela, daí vem a complexidade que está também na interpretação.
E você, como interpreta?

sábado, 9 de outubro de 2010


Não é que seja exatamente corajoso, meu coração tem é isso de bom: não ocupa espaço com mágoas e, com o tempo, ele se tornou desmemoriado pra assuntos de frustração. Quando me dou conta, lá está ele amando de novo, sorriso de orelha a orelha, com tal frescor que parece que nunca foi ferido. Dá, sim, pra ver uma cicatriz aqui e ali, outras mais adiante, que cicatriz não morre, mas ele não liga. Nem eu. Não é que seja exatamente teimoso, meu coração tem é isso de bom: gosta de amar. Eu também.

Ana Jácomo

Eu

Eu triste sou calada

Eu brava sou estúpida
Eu lúcida sou chata
Eu gata sou esperta
Eu cega sou vidente


Eu carente sou insana
Eu malandra sou fresca
Eu seca sou vazia 


Eu fria sou distante
Eu quente sou oleosa
Eu prosa sou tantas
Eu santa sou gelada
Eu salgada sou crua


Eu pura sou tentada
Eu sentada sou alta
Eu jovem sou donzela
Eu bela sou fútil


Eu útil sou boa
Eu à toa sou tua.

— Martha Medeiros

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Playlist?

• A Outra;
• Cara Estranho;
• De Onde Vem a Calma;
• Vencedor;
• Último Romance;
• Condicional;
• Casa Pré-Fabricada;
• O Velho e o Moço;
Assim Será;
• A Flor;
• Fingi na Hora de Rir;
• Todo Carnaval Tem Seu Fim;
•Sentimental
• Veja Bem, Meu Bem;
• Morena;
• Retrato pra Iaiá;
• Moça;
• Samba a Dois;
• Conversa de Botas Batidas;
Morena;
• Dois Barcos; 
• Deixa o Verão;
• O Vento;
• Primeiro Andar; 
• Do Sétimo Andar.

Será que nesse pedaço de papel tem as músicas que me farão cantar, chorar, gritar, rir, calar, pensar 
dia 16/10?
Espero, com toda fé, que sim.

Chega dia 16, deixa que os Los Hermanos cantem uma última vez pra mim...

História de Amor

"Imagine nós dois, eu e você, daqui a alguns anos, morando juntos. Não precisaríamos ser namorados, nem casados, nem nada disso. Apenas amigos. E nós seriamos felizes, eu e você. 


Fotos de nós dois estariam espalhadas pela casa. Fotos suas no meu quarto, fotos minhas no seu quarto. Mas nós dormiríamos juntos. Pelo simples fato de eu te querer por perto, e você me querer também. Pelo simples fato do seu quarto estar bagunçado de mais e a minha cama ser perfeita para nós dois. Eu teria medo do escuro, sem você.

Eu andaria apenas com roupas íntimas, e você fingiria não se importar. E eu fingiria acreditar. Eu fugiria de você, correndo pela casa, rindo, com o controle da televisão, só pra você não mudar o canal. E você me pegaria, e ficaríamos abraçados até o silêncio nos constranger.

Nossos sábados a noite seriam nostálgicos, olharíamos todos tipos de filme, atiraríamos pipocas um no outro e pediríamos uma pizza. Nostálgicos e perfeitos, porque depois dormiríamos abraçados, no sofá da sala, ao som da melodia dos créditos de um filme de romance em que eu choraria do começo ao fim, e você riria de mim e comigo. Iríamos ao supermercado uma vez por mês, comprar as mais diversas porcarias. E não nos faltaria nada. Você não se importaria com as minhas roupas espalhadas pela casa e pelo seu quarto. Eu não me importaria com a sua bagunça diária, nem com a sua toalha de banho atirada pelos cantos.

Nos domingos à tarde, ficaríamos na sacada do nosso apartamentinho no 3º andar, tomando coca e cantando músicas velhas. Olharíamos as pessoas lá em baixo, casais apaixonados, e ficaríamos em silêncio, perdidos nos nossos próprios pensamentos. Suas amigas viriam te visitar, e eu choraria em silêncio, no escuro do meu quarto. Até elas irem embora e você ir dormir comigo, e perguntar se chorei. Eu negaria. Você acreditaria.

Me acordaria no meio da noite, para contar um sonho que teve. E nós riríamos juntos. Me acordaria com café na cama, ou com uma rosa roubada do jardim da casa vizinha. Eu deixaria um recado sutil de amor na porta da geladeira antes de sair na segunda de manhã para visitar meus pais. Poderíamos até ter um cachorro. Poderíamos juntos, levar ele para passear. E você decidiria pintar a casa, e ela ficaria vazia, apenas com nós dois e nosso cachorro. Deitaríamos no chão, e eu perguntaria em que você estaria pensando. Você mentiria e me perguntava o mesmo. Eu mentiria.

Eu iria para a universidade todo dia de manhã, enquanto você ia para seu trabalho de meio turno em uma empresa de sucesso. Você me amaria, em silêncio. Eu também te amaria, em silêncio. Em alguns anos, eu estaria me formando, e você estaria no topo da carreira. E você me levaria pra jantar e me pediria em casamento. Eu aceitaria. E seria uma linda história de amor."
Isabella Ferian

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Choices


"Cada escolha que fazemos,decepcionamos alguém.
Só temos q ter cuidado para não decepcionar as pessoas erradas!"
(Click -2006)

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Dicas para arrumar namorado.

Nos meus últimos dias de férias, me transformei em morcego. Acordava às 11h, ficava na internet a tarde, vez ou outra trabalhei no Censo 2010, vi TV, escutei Oráculo... e fui dormir às 2h da manhã.
Em um desses dias, fiquei assistindo o Programa do Jô, uma das coisas que ainda me ligam a TV, e vi a entrevista dele com a Daniele Valente. Ela é uma pessoa super engraçada e eu sempre simpatizei com o trabalho dela e resolvi parar para escutá-la. Uma das coisas que ela frisava era uma das "pautas do seu twitter", "dicas para arrumar um namorado" e me chamou a atenção. Passei a seguí-la e aqui estão as que já foram lançadas até hoje:

  1. Tenha um vídeo-game, de preferência um PS3. Se você joga vídeo-game ele vai pensar: "Putz, posso jogar que ela não vai reclamar!". E você mulher vai se divertir junto com seu macho.
  2. Se não tem vídeo-game e nem quer ter um vídeo game e muito menos sabe jogar calma!, bata uma bolinha ou organize para os amigos dele uma reunião para ver o futebol. O importante é ter alguma diversão de menino!
  3. Coma! Homem detesta mulher que só fica na saladinha. Quer fazer dieta? Faça em casa! Com ele picanha.
  4. Seja você mesma. Não tente posar de bonita, de inteligente, de fofa seja lá o que você for. Se você é, você é e pronto! Não precisa ficar mostrando que é. Mesmo sendo louca, tem sempre um doido que combina com a gente.
  5. Arrase na pista de dança! E não esqueça daquela cara de "nossa como sou feliz sozinha!".
  6. Se você é muito inteligente não cometa a burrice de mostrar que é mais inteligente do que ele.
  7. Saia com uma roupa bacana sem ser vulgar. Afinal você quer um namorado ou ser uma mulher fruta?
  8. Na night puxe seu cartão de credito para pagar. Você mostra que é independente e descobre logo se ele é um cavalheiro.
  9. Escute o que ele tem para falar. Nos mulheres amamos falar. Vamos dar uma trégua para o sujeito e escutar o que ele tem pra dizer. Se ele só falar o que TEM na verdade só está querendo te comer.
  10. Não procure ser sexy! É melhor ele rir com você do que rir DE você! Seja natural. Isso é sexy.
  11. Fale menos de você e elogie ele. Elogie muito! Mas tem que ser verdadeira, fale mesmo do que você gostou nele! Homem precisa sempre daquela massagem no ego!
  12. Lembre-se sempre: você quer um namorado! Não imagine o sujeito te esperando no altar. Essa energia assusta.
  13. Saia na sexta com as amigas decidida a não ficar com ninguém. A Lei de Murphy funciona que é uma beleza!
  14. Observe o outro em vez de ficar olhando pro próprio umbigo.
  15. Pare de endireitar o cabelo e a roupa na frente dos outros isso mostra que vc esta caçando!
  16. Use uma cantada menina de família: "Nossa, você assobia igual à minha avó!". Acreditem se quiser, funciona!
Se você quer mais dicas para arrumar namorado siga a Dani no twitter: @dandanvalente.

sábado, 25 de setembro de 2010

Eu me amo



Há quanto tempo eu vinha me procurando
Quanto tempo faz, já nem lembro mais
Sempre correndo atrás de mim feito um louco
Tentando sair desse meu sufoco
Eu era tudo que eu podia querer
Era tão simples e eu custei pra aprender
Daqui pra frente nova vida eu terei
Sempre a meu lado bem feliz eu serei


Refrão: 
Eu me amo, eu me amo
Não posso mais viver sem mim

Como foi bom eu ter aparecido
Nessa minha vida já um tanto sofrida
Já não sabia mais o que fazer
Pra eu gostar de mim, me aceitar assim
Eu que queria tanto ter alguém
Agora eu sei sem mim eu não sou ninguém
Longe de mim nada mais faz sentido

Pra toda vida eu quero estar comigo
Refrão
Foi tão difícil pra eu me encontrar
É muito fácil um grande amor acabar, mas
Eu vou lutar por esse amor até o fim
Não vou mais deixar eu fugir de mim
Agora eu tenho uma razão pra viver
Agora eu posso até gostar de você
Completamente eu vou poder me entregar
É bem melhor você sabendo se amar


Ultraje a Rigor.




sexta-feira, 24 de setembro de 2010




  "Esta parte da minha vida, esta pequena parte, se chama Felicidade" 
(À procura da Felicidade - 2006)

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Skoob - O que você anda lendo?

Pra quem gosta de ler, a internet tem um espaço reservado: o Skoob é uma rede social para leitores, que tem por finalidade a troca de informações e experiências de leitura.
Existem diversas possibilidades de interação, ao se cadastrar no skoob você adquire uma "estante" virtual, onde você lista o que se está lendo; o que já foi lido; o que pretende ler; os livros que foram emprestados; os que estão sendo relidos; os que foram abandonados; monta sua meta de leitura; publica resenhas; avalia livros; troca-os; se tornar "fã" dos seus autores preferidos; compartilha opiniões mais diversas e, lógico conhecer pessoas novas, sempre tendo em comum o saudável vício da leitura.
Há ainda um paginomêtro, que conta todas as páginas que já foram lidas ao longo da vida e um Histórico de Leituras para aqueles que não querem, ou não gostam, de riscar seus livros, no qual é possível marcar a página e escrever um comentário acerca da leitura em geral ou impressões particulares; muito interessante para quem gosta ou precisa fazer os famosos fichamentos de livros.
O Skoob ainda precisa ser aperfeiçoado, a crítica maior que faço ao Skoob é que não é exatamente fácil encontrar amigos. Senti falta de uma conexão com Gmail ou até mesmo Twitter, que permita encontrar contatos com mais facilidade. Para compartilhamento em outras redes, o Skoob só disponibiliza o Twitter (observe as configurações e compartilhe somente as coisas importantes, não vá floodar a timeline dos amigos!), mas é de grande ajuda, ou mesmo passatempo, para quem quer se organizar nas leituras e conhecer pessoas interessantes, além de nos lembrar que, apesar das incansáveis profecias, o amor pelos livros não irá morrer tão cedo.

Torne-se um skoober (como os membros são conhecidos) e incentive a missão do Skoob, que é de “socializar e incentivar o hábito da leitura”. Qualquer iniciativa do tipo num país onde o cidadão médio não lê mais que um livro por ano é mais que bem-vinda. Ah, o site é de um criador brasileiro, o que facilita a vida de quem não é amigo do inglês. O link para o meu perfil do skoob se encontra aqui ao lado, abaixo do meu perfil, adicione-me por lá. ;)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Serviço Social - UECE

Como prometido: Fiquei de férias - na verdade, já está quase no fim - e vim aqui contar sobre minha aprovação, pois bem...


Universidade Estadual do Ceará – UECE
       Centro de Estudos Sociais Aplicados – CESA
      Curso de Serviço Social Diurno

O ultimo post que escrevi sobre isso foi em  8 de março de 2010, fazendo uma breve retrospectiva, lá eu dizia que caso passasse, escolheria ficar na UECE, cursando Serviço Social, mesmo sem ser meu grande sonho. Disse que cursaria por um ano e depois estudaria pra fazer Jornalismo na UFC.
De lá pra cá, (6 meses) muitas coisas mudaram...
A princípio, fui me matricular, fiquei nos classificáveis, em sétimo lugar. Quando li que havia passado em sétimo lugar, saí gritando pela casa,liguei pra minha mãe... Essas coisas de quem passa bem colocada mesmo sem estudar. Depois fui procurar meu nome em um site de uma escola e ele não estava lá. Isso me deixou muito confusa e depois, muito envergonhada. Eu tinha passado nos classificáveis ou seja, teria de esperar alguém desistir pra poder entrar... :s
Logo saiu as vagas remanescentes e eu fui com garantia de aprovação. Ainda assim, senti um frio na barriga, minha mãe tão nervosa, rsrs... Eu tremi muito, foi uma das assinaturas mais feias que fiz na vida.
Na saída, tinha um "comitê de boas vindas", onde me pintaram, jogaram coma em mim... tinha amigos com quem dividir aquele momento... Enfim, eu estava realmente feliz!


Eu fui a missa e agradeci a Deus, pelos planos dele na minha vida. Quem diria que eu passaria, eu não estudei pra passar, eu rejeitei o curso, eu não queria nem fazer a prova... e logo ali, eu fui aceita, eu fiquei... 
Comemorei também com o meu núcleo ♥, com quem eu queria dividir aquela felicidade...



Meu primeiro dia de aula, foi bem entediante, mas com aventuras. Peguei o Parajana bem lotado, ao chegar na UECE, ninguém sabia informar nada. Por isso bixos, fica o aviso, passou na UECE, procure a coordenação do seu curso e boa sorte! Por sorte, conheci uma menina que estava na comunidade do curso - esse contato também é de extrema importância! - e fomos juntas descobrir as coisas, pegar a matrícula e etc. O primeiro momento era uma palestra chata de boas-vindas... :/ De volta no Parajana II... A primeira semana servia pra conhecer melhor o curso, saber o que realmente é Serviço Social, mas eu não fui; fiquei doente e todos esses detalhes eu conheci depois, bem depois... 
Retornei a UECE só na sexta da mesma semana, nesse dia, quem apresentou o curso foram os próprios alunos do curso, os estudantes do PET (Programa de Educação Tutorial) de Serviço Social e o pessoal do CA (Centro Acadêmico). Eles nos mostraram o Campus (que eu ainda demoraria pra me localizar bem), falaram das vastas áreas de atuação do profissional de Serviço Social. Depois cada um se apresentou - tantos veteranos quantos os "bixos"-, contou o porquê de ter escolhido o curso - conta-se nos dedos quem escolheu por amor - ... Teve um pic-nic que eles prepararam para nós e depois nos convidaram a uma dança de recepção: BEREQUETÊ ;]

Depois, durante todo o semestre eu fui aprendendo coisas novas, me surpreendendo, mudando minhas concepções, o que me surpreendeu muito!
Eu tinha 5 cadeiras nesse semestre: Sociologia Clássica com a professora que mais falta no semestre; Teorias Psicológicas com o professor "sem pescoço e do oião" como ele mesmo se intitula, que adora contar histórias...; Fundamentos Filosóficos com o gênio, indescritível por vários motivos; Metodologia do Trabalho Científico com a professora emprestada da Administração, a pessoa neoliberal que mais me cativou; e a de Introd. ao Serviço Social, que tinha uma ótima cara de antipatia, mas concluímos que era só "a falta de..." (:
Consegui encontrar pessoas que se tornaram mais próximas de mim, mas a sala toda sempre manteve uma relação muito boa. O melhor da Universidade, com certeza não são as aulas, mas o que acontece fora dela, a "melhor empada da UECE"; as conversas nos corredores; as caronas; as emoções; as fotos; as impressões sobre as pessoas; as faltas com as desculpas mais bobas possíveis :x; o almoço no RU; os exercícios de auto-conhecimento... Aprendi a pegar o Parajana antes do Terminal e ir sentada ;) mas também "sofri" com a greve de ônibus, que influenciou e muito na rotina da Universidade; o desânimo causado pela rotina e pelo desinteresse dos professores...
Fiz um Seminário de Serviço Social e Questão Ambiental, vi ótimas palestras, uma sobre Turismo Ecológico - Rosinha Martins (Rede TUCUM) e outra palestra que não me atraiu nem um pouco de início, mas foi a mais interessante do evento, que abordava o tema Questão Urbana e Rural: para uns terra é chão, para outros é vida - Gemmelle Santos (Gestão Ambiental/IFCE-CEFET). Fiz ainda outra oficina, de  Gestão e Planejamento Ambiental - Edilene Sales (SEMAM). Conheci uma mulher muito importante pro Serviço Social, Joaquina Barata Teixeira (UFPA) que apresentou uma conferência sobre O projeto ético-político profissional e a relevância da questão ambiental. Eu fiquei muito feliz com o meu primeiro Seminário, mesmo não apresentando nenhum trabalho, mas tendo ali a primeiro oportunidade de conhecer uma das diversas áreas de atuação do SS.
Fiz outro Seminário também, agora sobre Políticas Públicas e Inclusão Social. Discutiu-se muito sobre os impactos das política sociais no Brasil. Fiz um minicurso dentro do evento sobre Estado, Política de Segurança Alimentar e Nutricional e Proteção Social - Elisangela
E a cada dia que se passou eu fui conhecendo mais o curso, gostando mais da UECE, mesmo com tudo que ela deixa desejar, e fui me apegando. Hoje, eu não sei se desistiria do curso, mas ainda não me vejo trabalhando na área, mas "deixa ser como será, eu vou sem me preocupar..." ♪



segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Pierrot, Colombina e Arlequim




Pierrot - Los Hermanos
O Pierrot apaixonado chora pelo amor da Colombina
E a sua sina chorar a ilusão em vão, em vão

E a Colombina só quer um amor
Que não encontra num braço qualquer
Essa menina não quer mais saber de mal-me-quer
Só do Pierrot, Pierrot
Pierrot, Pierrot, Pierrot, Pierrot... (3×)

O Pierrot apaixonado chora pelo amor da Colombina
E na esquina se mata a beber pra esquecer, pra esquecer

E o Pierrot só queria amar
E dar um basta a esta dor já sem fim
Mas Colombina trocou seu amor por Arlequim
E o Pierrot, chora!
E o Pierrot, chora!
E o Pierrot, chora!
Pierrot...

Tem uma comunidade no Orkut chamada ALHO (Analisando Los Hermanos Organizada). Andei dando uma olhada por lá, busco uma música que explique o que se passa nesse momento na minha vida.

Achei a análise de Pierrot, apesar de não ser a música escolhida, eu gostei muito quando a ouvi pela primeira vez. A letra deve ser baseada na Comédia Dell’arte, peças improvisadas que surgiram na Itália. Nesse tipo de peça os personagens são estereótipos exagerados. O Arlequim era o fanfarrão, esperto e trapaceiro. O Pierrot era o idealizador do amor, um clássico sonhador, ingênuo e romântico. Os dois eram apaixonados por Colombina, que era uma dama de companhia da corte e é caracterizada como uma moça linda e inteligente, de humor rápido e irônico, sempre envolvida em intrigas e fofocas. 
Ela amava os dois: no amante Arlequim a realização carnal e em Pierrot a delicadeza, a fantasia e o sonho de um amor verdadeiro. Colombina vive dividida entre o "amor carnal" e o "amor espiritual".

Pierrot e Colombina cresceram juntos e eram muito amigos. Pierrot se tornou padeiro e fazia pães e doces para alegrar a vida dos habitantes de sua cidadezinha e o coração de sua amada. Ele não tinha coragem de se declarar para Colombina, pois era muito tímido, e costumava escrever longas cartas de amor para sua amada. Porém não tinha coragem de enviá-las.
Um belo dia de verão aparece na cidade um alegre trovador chamado Arlequim, ele encanta a todos com suas histórias e canções. Colombina é seduzida e se apaixona por ele. Ela o segue deixando sua cidade e seu amigo Pierrot, que fica muito triste e deprimido.
Chega o inverno, e com ele as dificuldades para a sobrevivência. Arlequim e Colombina sofrem muito, e a moça sofre ainda mais. Em uma noite de inverno, ao contemplar a lua, a moça relembra seu amigo Pierrot e encontra uma carta com uma declaração de amor.
Ela fica emocionada e foge para retornar à sua pequena cidade e rever Pierrot. Os dois amigos se reencontram, se casam e vivem muito felizes juntos. Arlequim, com saudades de Colombina também retorna e para permanecer perto de sua amada fica amigo de Pierrot. Assim os três amigos vivem felizes para sempre em meio aos pães e doces deliciosos feitos por Pierrot.
COLOMBINA: Como te amo, Pierrot...
ARLEQUIM: E a mim, cujo desejo te abriu o coração com a chave do meu beijo? A tua alma era como a Bela Adormecida: o meu beijo a acordou para a glória da vida!
COLOMBINA: Como te amo, Arlequim!...
PIERROT: A incerteza que esvoaça desgraça muito mais do que a própria desgraça. Escolhe entre nós dois... Bendiremos os fados sabendo o que é feliz, entre dois desgraçados!
ARLEQUIM: Dize: Queres-me bem?
PIERROT: Fala: gostas de mim?
COLOMBINA: Eu amo-te, Pierrot... Desejo-te, Arlequim...
ARLEQUIM: A vida é singular! Bem ridícula, em suma... Uma só, ama dois... e dois amam só uma!...
COLOMBINA: Não! Não me compreendeis... Ouvi, atentos, pois meu amor se compõe do amor de todos dois... Hesitante, entre vós, o coração balanço... O teu beijo é tão quente Alerquim... O teu sonho é tão manso Pierrot... Pudesse eu repartir-me e encontrar minha calma dando a Arlequim meu corpo e a Pierrot a minh’alma! Quando tenho Arlequim, quero Pierrot tristonho, pois um dá-me o prazer, o outro dá-me o sonho! Nessa duplicidade o amor todo se encerra: um me fala do céu... outro fala da terra! Eu amo, porque amar é variar, e em verdade toda a razão do amor está na variedade... Penso que morreria o desejo da gente, se Arlequim e Pierrot fossem um ser somente, porque a história do amor pode escrever-se assim: Um sonho de Pierrot, um beijo de Alerquim!



Camelo utiliza de uma licença para o "fim da historia" visto que na dramatização Colombina ama os dois e fica meio dividida, já na música "a Colombina trocou seu amor por Arlequim e o Pierrot chora.". Acho que ele quis passar a mensagem de que o amante sonhador e bondoso sempre (ou pelo menos nesse caso especifico) é trocado pelo malandro e esperto. Ou ainda, analisando mais por alto, ele aborda supervalorização dos prazeres carnais em detrimento de emoções como, no caso, o amor.

Depois de ler toda a conclusão da canção, e de me aprofundar na bela história no blog do João e o pé-de-feijão, me peguei pensando qual dos três personagens está mais presente em mim: O Pierrot apaixonado e tristonho? A Colombina, presa entre amores diferentes e ainda assim amando ambos? O Alerquim, esperto, espaçoso, "compreensível"?

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Se não quiser adoecer...

Pessoas, esse texto é do Dr. Dráuzio Varella e eu acho que ele me ajuda a dizer-vos o que se passa com essa pessoa que vos escreve... Farei pequenas pausas quando achar necessário e nelas estarão contidas coisas associadas a minha vida, ao meu cotidiano.
Se não quiser adoecer - "Fale de seus sentimentos"
Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.
 - Pausa para um comentário informativo: Eu não costumo sair falando as coisas assim, a torto e a direito, mas eu detesto guardá-las, eu não gosto de guardar nada só pra mim, nem maravilhas - essas eu divido -  nem mágoas, nem raivas - essas eu descarto -; mas eu tenho gastrite, quando eu me estresso parece que queima uma coisa dentro do meu estômago, é horrível, por isso o mau humor se apodera logo de mim... também sinto dores lombares, mas diz minha mãe que é de ficar nessa cadeira do computador.
Na madrugada em que escrevi o post anterior, eu desabafei, conversei com a uma amiga e isso foi de grande ajuda. Partilhar sempre faz você melhorar e esse foi o primeiro passo para uma melhora considerável do meu humor. O segundo ponto crucial para meu "up" foi o Pimpona's Day, onde eu nem queria contar e acabei contando tudo. Falei muito e acabei me sentido melhor. ♥ Eu gosto de falar o que sinto.
Se não quiser adoecer - "Tome decisão"
A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.
- Pausa para um comentário confessional: sou extremamente indecisa, tudo é motivo de dúvida para mim - até a cor em que eu ira escrever esse comentário, por exemplo -. Quando eu fico muito indecisa isso me deixa quase doente. Eu conheço a importância das decisões, até me acho muito resolvida, vez ou outra. Apesar da indecisão, quando resolvo o que fazer mergulho de cabeça na escolha feita. 
Outra coisa dificílima pra mim é abrir mão dos meus valores, sou apegada demais a eles e não estou pronta pra abrir mão do que construí.
Mais um agrave à minha gastrite e a explicação para minhas espinhas.
Se não quiser adoecer - "Busque soluções"
Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.
- Pausa para um comentário reflexivo: Eu não me acho pessimista, mas acho que quando estou com algum problema o aumento, nem que seja só pra valorizar a história. Mal de quem gosta de contar o que sente e da plateia, que dá ouvidos, rsrsrs... Não sou de me lamentar, mas tenho um murmuro eterno na cabeça, até brinco que tenho um twitter dentro dela pra tá sempre murmurando...
Se não quiser adoecer - "Não viva de aparências"
Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc., está acumulando toneladas de peso... uma estátua de bronze, mas com pés de barro. Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.
- Pausa para um comentário confortável: Tá aí uma coisa que não me faz doente, não ligo a mínima pra aparência. Todo mundo quer preservar uma boa imagem, procura passar algo calmo, tranquilo, ninguém gosta de ficar por baixo, fato. Mas definitivamente preservar uma imagem criada por quem me vê, e consequentemente me julga, não é minha prioridade.
Se não quiser adoecer - "Aceite-se"
A rejeição de si próprio, a ausência de autoestima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.
- Pausa para um comentário pessoal: acho que aceitar-se também não é um problema que tenho que enfrentar. Graças a Deus, sou segura de si, gosto de mim como sou, afinal, como não gostar de alguém que é tão vasto! rsrs Desculpe a ausência de modéstia, mas amor próprio é essencial, pra poder ser feliz, pra poder amar, pra poder fazer feliz! Que possamos nos amar mais e estar cada vez mais preparados para amar o próximo.
Se não quiser adoecer - "Confie"
Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria laços profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.
- Pausa para um comentário carregado de alívio: este é um dos meus problemas, mas ao inverso. Eu confio nas pessoas, acho isso muito importante e, às vezes, acabo me machucando por confiar na pessoa errada. Confiança é algo que depositamos em alguém, um sentimento responsável pela partilha, que leva uma lasca do nosso coração com o outro. Eu fico feliz por ultimamente ter escolhido pessoas certas para depositar minha confiança e espero que com o tempo, eu possa receber os lucros desse investimento: amizades sinceras, carinho mútuo e respeito.
Se não quiser adoecer - "Não viva SEMPRE triste!"
O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive.
Que a tristeza seja uma breve passageira na nossa caminhada pela vida! "Don't horry, be happy "

(per)seguidores

No Google+