terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sentir e falar

Eu sou assim, gosto de falar o que sinto. 
Ficar chorando, escondida, vivendo a melancolia até é uma das minhas práticas,vez por outra, mas transmitir meu sentimento é uma das coisas que acompanha esses momentos. 
Eu sempre disse que não consigo gostar de alguém, ou sofrer por alguém sem que essa pessoa saiba do meu sentimento. Sustento a teoria que se estou sentido, no caso sofrendo, não posso sofrer "pro nada", o mínimo que o dito cujo tem que saber é que me faz aquilo. 
Alguns dizem que isso é uma bobagem, dizem até que é uma fraqueza e talvez seja mesmo, mas é uma das minhas características mais fortes. 
Ruim é quando não consigo fazer isso. 
Nunca pensei que me expressar fosse um problema, sei que muitas vezes meus pensamentos confusos confundem minha fala, mas ainda assim, não gosto de sentir, principalmente de sentir sozinha. 
O problema é quando não consigo falar... 
Estou com raiva e ele não sabe, na verdade, não sei nem se passa na cabeça dele. Ele não me conhece, mas ainda assim acha que "uma força maior" nos liga. Essa força maior não me trás grandes benefícios, na verdade só dificulta o processo. 
Como eu queria ter coragem de dizer tudo o que sinto, o que senti e o que me magoa. Queria magoá-lo como ele fez a mim, queria que minhas palavras doessem nele como as suas ações doem em mim. 
Queria poder dizer tudo que sinto, sem me preocupar com a profundidade que as minhas palavras atingiriam seu coração, queria que "essa força maior" não fosse importante, mas ela é e eu não posso fugir disso. 
Talvez, o que me faça chorar seja a confusão que a raiva, a mágoa e o amor têm nessa relação. 
Eu queria abandoná-lo, assim como ele fez comigo, mas não consigo. 
Não consigo porque sou melhor que ele. Porque cresci sabendo quem não queria me tornar, e porque apesar de tudo que senti e de todas as consequências que tive e ainda tenho que enfrentar eu o amo e me preocupo em não ferir com tanta intensidade seu coração. 
Às vezes, me pergunto por que as relações humanas assinam contrato por nós. Eu os amo, amo os dois de verdade. Todavia, amo mais a ela, claro, afinal, ela consegue silenciar e acho incrível como as pessoas como ela sofrem em silêncio, não as admiro, mas respeito sua força, não tenho coragem de carregar sozinha algo que não foi criado só por mim. 
Que cada um assuma sua responsabilidade nos sentimentos, nas criaturas, na dor. Que eu aprenda a calar em relação a isso tudo, caso eu não tenha coragem de enfrentar meu maior medo ou que eu o enfrente e assuma a responsabilidade da minha escolha e enfim, tire esse azedume do meu peito e assim possa tratar, com efeito, essa dor e abrir espaço aqui por dentro pra novos sentimentos, porque a mágoa é pesada e ocupa espaço demais.

(per)seguidores

No Google+