terça-feira, 20 de abril de 2010

Twitter






Eu já tinha escutado falar em twitter, mas nem sei o que (ou quem) realmente me fez entrar lá. Em 2:51 PM Aug 17th, 2009 via web e meu primeiro tweet foi uma coisa bem simples: "Cheguei! Opa, como funciona isso ;D".
Diferentemente de muitos dos meus amigos, não desisti e hoje (até a hora em que escrevi essa parte do post) tenho 1,298 tweets.

No twitter os usuários enviam e recebem atualizações pessoais de outros contatos (em textos de até 140 caracteres), através do website do serviço, por SMS e por softwares específicos de gerenciamento. O serviço é gratuito pela internet, entretanto, usando o recurso de SMS pode ocorrer a cobrança pela operadora telefônica.

Hoje sigo 31 pessoas, entre elas estão: a trupe do CQC e mais uma pessoas que conheci através da #RedeCQC -; alguns "serviços" do twitter, como o Fun140 de quiz, o TweetPhoto, o sms2blog, e o Frases de Filme; as universidades daqui (UFC e UECE); por fim, sigo a banda Pedra Letícia e o seu humorista cantor Fabiano Cambota; o Criador; a jornalista Julia Bandeira; o nadador Thiago Pereira; a escritora Tati Bernardi; o humorista Bruno Mazzeo e alguns amigos. Também é possível criar listas de interesses. Dividi os meus entre meus amigos que têm twitter, mas não o usam com frequência; algumas meninas aqui do Ceará que me fazem dar risada e os candidatos a Presidente da República deste ano.

No twitter sigo as leis da twittosfera, criada por Pitty, acho que foi a coisa mais simples e fácil que falaram sobre a Twittolândia:

[...] O tempo foi passando, o número de pessoas que me seguiam ali foi aumentando, e eu comecei a me deparar com algumas situações constantes as quais gostaria de tentar esclarecer agora e aqui, porque nesse caso 140 caracteres é muito pouco. O famigerado “Me segue”: Não é assim que funciona. As pessoas devem ser livres ali para escolher quem elas querem ou não seguir, de acordo com seu tempo disponível e interesses específicos. Qual o objetivo de receber na sua timeline tweets que não lhe interessam de fato? Isso não tem nada a ver com falta de gentileza, tem a ver com o aproveitamento real da ferramenta. [...] Prefiro poucos que posso acompanhar de verdade do que muitos que nunca vou conseguir ler. se perde. [...] Adendo: “me retuita” e “me indica” entram na mesma categoria, desde que não seja referente à alguma causa nobre. Isso não é algo que se imponha, é algo que simplesmente acontece quando o dono do perfil acha que tem que acontecer. [...] A chatice de “floodar”: Floodar é o abrasileiramento da palavra “flood” que em inglês significa “inundação”. Virou moda por aqui, e consiste em mandar a mesma mensagem (geralmente irrelevante) diversas vezes. No Twitter, é um inferno quando um sem-noção inventa de escrever (e até numerar) o mesmo “por favor me responde” 342 vezes. Porra, não floode, bicho. Não é a quantidade de vezes que determina uma resposta, e sim o conteúdo da pergunta. Por isso criei uma regrinha básica que até rima: se floodar, vou bloquear. Porque isso é muito, muito chato e me impede de ver as outras mensagens que porventura sejam legais. Quantidade X qualidade: O número de seguidores vai crescendo, e vai-se constatando algo que eu já intuía através de outras situações anteriores. Quando se lida com mais gente, quanto mais popular se fica, mais pessoas diferentes e distantes de você aparecem. Ter mais seguidores é sempre ótimo porque é sua informação chegando mais longe, mas isso implica em lidar com aquele sujeito que só conhece suas músicas mais famosas e acha que te sabe; [...] E o tempo ajeita tudo: no final, depois de um processo natural de separação entre o joio e o trigo, só restarão os bons. [...]
Pitty
Quem quiser ler o post dela completo clica aqui.
Não poluo minha timeline com coisas que não me interessam. Ali já vivi causos simples, rotineiros, simples e diversíssimos. Já disseram que eu só falo com artista, já fiquei (abestadamente) felizinha com um "Oq?" do Luiz França e um "Oi, querida! obrigada, viu? beijao" da Julia Bandeira, fiz testezinhos ridículos, presenciei diversos barracos: Fã(náticas) do Danilo x Marco Luque e uma "piada" no É Tudo Improviso; Legendários (lê-se Gui Pádua e Mion) e o seu "#HumordoBem" x Danilo e o seu "#Humordomal"; Bruno Mazzeo e Pedra Letícia x Fã(náticas) do Luan Santana. Já morrir de rir com o TTBr (desaparecido), teve até o caso do #DiaMundialSemCarne, onde com minha piadinhas: "No orkut todo mundo é bonito. No MSN todo mundo é ocupado. No Twitter todo mundo é humorista." (@FabioFlorez) vivenciei uma discussão com um vegetariano, que no fim me mandou um e-mail de concientização, já fui convidada pra ser modelo, sim com meus 59kg, já enviei frases para o @_frasesdefilmes... Já me choquei com unfollows, me informei de dias comemorativos, situações... Me tornando cada vez mais dependente do twitter. Hoje mando tweets do celular.

O twitter é uma ferramenta essencial no meu dia-a-dia e, uma aba sempre aberta na minha janela.

Itwitter

    (per)seguidores

    No Google+