quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Amor pelo saber, e, particularmente...

Há uns dias atrás acordei e me dei ao luxo de dormir mais 20 min, fiz as contas e percebi que por mais cedo que eu levantasse, acabaria perdendo esses 20 min fazendo algo que me chateasse, então resolvi canalizá-los da forma mais positiva que eu encontrei... :D 

A aula era de revisão, cheguei meio sem jeito, estava atrasada, detesto chegar depois do professor, mas fui me chegando... rsrs
As meninas gostam de dizer que eu sou apaixonadinha por ele, mas é mentira pura! Só porque eu pesquisei o nome dele no Google, rsrs :$, qual problema tem nisso?
Bom ele é um cara legal, deve ser eu acho, ele é bem reservado, mas dá pra ver o quanto ele sabe das coisas, o quanto ele domina o assunto... como é lindo ele falando nome dos caras filósofos da Rússia, da Alemanha, todos com nomes mirabolantes... *-*


A aula foi bem agradável, principalmente porque era de revisão e a gente foi revisando, ah vá :P,  tudo que tínhamos visto e não havia ficado tão claro. Além disso, teve uma pequena introdução das duas próximas correntes que vamos estudar. Como das outras vezes, achei que gostarei mais delas do que das atuais.

Bem que eu gosto de Filosofia, mas ela me deixa inquieta e não sei se isso é normal...

Depois da aula, eu tinha uma pergunta, uma coisa que não havia saído da minha cabeça em um desses momentos de inquietação, mas pareceu que todo mundo tinha algo a dizer a ele, foi engraçado até, meninas...
Minha dúvida, no fundo, já tinha uma resposta, mas queria ter a confirmação do filósofo. É bom conversar com quem entende, além disso, saber mais sobre pessoas misteriosas é interessante... Ele me indicou um texto do Nietzsche, mas eu não sei se quero essa inquietação não, ele se acostumou com as dele #comopode?!

Eu gosto desse contato aluno-professor. Acredito que grandes lições são passadas assim. Mas meu professor parece um tanto tímido pra isso, talvez porque ele seja quase da nossa idade, tem 23 :O, e sei lá né...

Por ele ser um tanto fechado, costumamos - falo no plural porque não faço só, mas também não vou delatar as coleguinhas ;) #dobem - imaginar o que ele faz fora da sala, como ele deve ser com os amigos, que tipo de música escuta ou que ele escreve além do mundo filosófico...

Não sei, só sei que queria conhecê-lo, de verdade, conversar sobre coisas boas, ruins, tentar entendê-lo, se é que ele quer ser entendido - eu não quero! - ... mistérios...

(per)seguidores

No Google+