sábado, 25 de setembro de 2010

Eu me amo



Há quanto tempo eu vinha me procurando
Quanto tempo faz, já nem lembro mais
Sempre correndo atrás de mim feito um louco
Tentando sair desse meu sufoco
Eu era tudo que eu podia querer
Era tão simples e eu custei pra aprender
Daqui pra frente nova vida eu terei
Sempre a meu lado bem feliz eu serei


Refrão: 
Eu me amo, eu me amo
Não posso mais viver sem mim

Como foi bom eu ter aparecido
Nessa minha vida já um tanto sofrida
Já não sabia mais o que fazer
Pra eu gostar de mim, me aceitar assim
Eu que queria tanto ter alguém
Agora eu sei sem mim eu não sou ninguém
Longe de mim nada mais faz sentido

Pra toda vida eu quero estar comigo
Refrão
Foi tão difícil pra eu me encontrar
É muito fácil um grande amor acabar, mas
Eu vou lutar por esse amor até o fim
Não vou mais deixar eu fugir de mim
Agora eu tenho uma razão pra viver
Agora eu posso até gostar de você
Completamente eu vou poder me entregar
É bem melhor você sabendo se amar


Ultraje a Rigor.




Hahaha, desculpe a pretensão da letra. Mas é tudo que eu queria dizer pra mim.
Eu gosto tanto de mim, tanto.
Seria capaz de se apaixonar por mim. (:
Mas por que tudo isso?
Porque eu percebi que tudo que eu mais gosto no outro, eu tenho.
Uma vez eu vi no CSI que toda pessoa procura no outro traços da sua personalidade e esses dias mais do que nunca, vi quanto isso é verdade.
Eu adoro minha personalidade excêntrica, meus pensamentos confusos.
Eu gosto dos meus defeitos, da minha preguiça, do meu "domínio", da minha insegurança, da minha impulsividade... Talvez isso seja prejudicial, mas eu sou feliz assim. 
E até onde eu saiba, não é a felicidade que buscamos?!
Eu não preciso de drogas pra fugir dos meus problemas; eu não preciso beber pra dar risada.
Eu criei dentro de mim um conforto. Ele é vivo e ele me soprou no ouvido:
- Acorda, não precisa chorar, você tem o suficiente. Você é o suficiente.

(per)seguidores

No Google+