segunda-feira, 8 de março de 2010

Escolhas...


Como no belo texto do Bial, publicado anteriormente. Passei por situações que me cobraram decisões...
"... Mas este sempre foi o meu jeito. Tomar decisões era parte dolorosa pra mim, a parte que me angustiava."
Nos últimos dias, eu tive que escolher o que eu realmente iria ser quando crescesse. Explicando: Depois que veio o resultado da UFC, onde eu não estava aprovada, tive que escolher o que fazer.
Podia fazer cursinho no Ari (à tarde, caso eu também não passasse na UECE) ou no FB (à noite caso eu passasse). Entretanto, decidir entre essas opções traria consequências maiores e, eu não fazia a mínima ideia de qual delas eu queria na minha vida.

Se eu fosse pro Ari, eu provavelmente não poderia cursar a UECE, já que algumas cadeiras são no turno da tarde. Caso eu escolhesse o FB, provavelmente, eu não faria nem um bom "Pré-Vestibular", nem uma boa Faculdade, já que seria escrava do cansaço e da rotina. Junto com a dúvida, vieram as opiniõeso que cada um pensava que era melhor pra mim, já que eu não sabia.

Dividida entre dois dos grandes cursinhos de Fortaleza, estava também divida entre as opiniões das pessoas que são importantes pra mim. De um lado minha Mãe e alguns parentes e amigos que dividiam a mesma opinião que ela: defendiam que eu deveria agarrar a oportunidade da UECE, que eu deveria tentar entrar depois jornalismo, ou quem sabe, ficar no FB e se esforçar pra dar conta. Mas algumas indagações vieram a minha cabeça, eu vou ser frustrada? Vou desistir do meu sonho?

Do outro lado minha Tia, que contava com o apoio da minha melhor amiga e de alguns amigos e primos: achavam que tenho que lutar pelo que quero e não deixar me acomodar pelas as circunstâncias. Achavam que eu deveria ir estudar no Ari, que é um bom colégio e eu ainda tenho a oportunidade de ter uma pessoa pagando a parte financeira. Nesse momento eu penso: E se eu não tiver outra chance? Se eu não passar?



Além do nervosismo e da dúvida, que me deixou agoniada e me levou a chorar, teorizar e pensar, outra coisa veio se somar à minha confusão: Meus relacionamentos amorosos

Em um desses períodos que estou de TPM (lê-se Tô Pronta pra Matar) recebi um certo flerte, e dispensei com tudo que um fora tem pra ser duro. Depois que os efeitos colaterais da tal TPM passaram eu percebi como tenho o dom de magoar as pessoas. Percebi o quanto eu tinha sido impulsiva, mas que não podia simplesmente "desonrar" minha escolha e pensei comigo mesma: "no regrets".

Ainda assim, fiquei com isso na cabeça. Por que eu sou assim? Por que afasto as pessoas que se declaram? É como se eu não quisesse algo com sentimentalismo... #I_am_strange

Após todas essas confusões mentais, noites em claro e lágrimas derramadas, tomei minhas decisões:
  1. Eu não vou fazer nenhum cursinho. Vou cursar a UECE por um ano e depois vou estudar pra fazer Jornalismo-UFC. Assim, poderei ter duas graduações!
  2. Vai ser sem arrependimentos!








(per)seguidores

No Google+