terça-feira, 22 de novembro de 2011

Levi

Levi era apaixonado por Gabi. Seu amor de escola. Sua companheira de sonhos e planos. Levi teve que se mudar, afinal não vivemos apenas nossas expectativas, estamos em teias de relações e somos mais dependentes do que queremos.
Gabi ficou, Levi se foi.
Levi conheceu Julia e logo ficaram amigos. Julia e Levi tinham uma sintonia, eram cúmplices, dividiam planos e expectativas. Julia não era Gabi, mas fazia com que ele se sentisse bem, Levi não estava completo, mas também não estava só.

Tudo aconteceu muito rápido.
Julia estava sempre ali, era ao lado dela que ele dava risada. Era no ouvido dela que despejava queixas e foi com ela que ele começou a sonhar e isso era estranho. Na verdade, tudo era meio estranho com eles. Como disse Humberto Gessinger, "seria mais fácil fazer tudo como todo mundo faz. [...] Mas nós dançamos no silêncio, choramos no carnaval. Não vemos graça nas gracinhas da TV, morremos de rir no horário eleitoral. [...]". Eles realmente estavam em outra frequência, e isso começou a deixá-lo assustado.
Um belo dia, ele recebe um email de Gabi, ela viria visitá-lo. Ele correu pra dividir isso com alguém. Com Julia. Ao chegar correndo, foi despejando informação para ela. Assustada, ela recebeu tudo em silêncio.
O dia continuou como era de costume.
Passaram o dia ouvindo sua trilha sonora, deitados no chão da casa da moça: Engenheiros do Hawaii, Los Hermanos, Nando Reis... Em um dos momentos de gracinhas, onde Levi sempre arrumava uma forma de implicar com Julia eles se entreolharam e se beijaram. 

Levi saiu correndo. Ele sabia que não deveria ter feito aquilo. Ele amava Gabi e era só amigo de Julia. Ele repetia isso na cabeça, enquanto andava apressado pelas ruas até chegar em casa.
Gabi finalmente chegou.
Levi havia preparado todo um cronograma, para apresentá-la a tudo que agora fazia parte dele. Menos Julia, devido ao ultimo acontecimento, ela ficaria para outra visita. O dia foi feliz e romântico. Na hora de levá-la a rodoviária, com aquela tensão que toda despedida tem, ela puxou o diálogo:
- Levi, tenho que te contar uma coisa.
- Fala Gabi, tô te ouvindo.
Ele tentou beijar a testa dela, mas ele se esquivou. Ele ficou tenso e os cabelos da sua nunca arrepiaram.
- Levi, é que... eu conheci uma pessoa.
- Eu também conheci muitas pessoas Gabi. Levi desconversou, ele não tinha planejado esse diálogo para a rodoviária, só longos abraços de despedida.
- Não Levi, é sério. Eu conheci uma pessoa e eu tô com ele. Eu tô apaixonada por ele.
- Gabi... E a gente?
- Eu fiquei sozinha lá Levi, sozinha! Não tinha como aguentar! Eu sei que tinha que ter te dito logo mas...
Ele não ouviu mais nada. A cabeça dele girava. Ele se virou e deixou ela lá, falando desesperadamente. Ela não gritou nem chorou, ela só se calou, sentou e esperou seu ônibus, enquanto via seu amor de escola se afastar, andando de uma forma assustada.
Levi não ficou bem. Ele nem sabia mais o que pensar. E assim permaneceu, por longos dois meses que passaram-se como anos.
Em casa, no chão do quarto, ouvindo ACDC, Metallica, Pink Floyd, porque não conseguia ouvir nada mais leve, afinal, isso ele fazia com Julia...
Julia! Meu Deus, ele havia esquecido dela. Não sabia como se reaproximar... Resolveu se aproveitar de seu irmão, Samuel.
- Samuel, beleza?
- O que é que tu quer Levi?
- Qual é! Não posso mais conversar?
- Poder até pode, mas você não quer. Desde que a Gabi veio você tá na maior piração, só fala quando te perguntam algo...
- É eu sei... 
- Vocês terminaram? Você e a Gabi?
- Foi.
- Desculpa cara, mas é melhor assim. Eu te disse que namorar a distância era sem futuro. Por isso terminei com a Virgínia antes da gente se mudar... Mas me diz, o que é que você quer de mim?
- Conselho é que não é! Hum, você tem visto a Julia?
- Claro né, a gente estuda junto!
- Como ela tá? Desde antes da Gabi vir pra cá a gente não se fala... Já se passaram mais de dois meses que não sei dela.
- Ela tá bem cara, como sempre. Você sabe como é o jeito da Julia, muito independente, muito certa de si... Ela continua a mesma.
- Tô afim de falar com ela...
- Ah, pois vem comigo ao aniversário do Arnaldo, ela vai tá lá, toda galera da sala vai e você tá precisando mesmo sair do chão do teu quarto, tá parecendo um tapete!
- Cala a boca. Disse Levi, virando-se e saindo, com um sorriso no rosto.
No aniversário do Arnaldo, ele encontrou Julia e eles conversaram. Levi se desculpou pelo beijo dos meses atrás e contou o que aconteceu com Gabi.
Julia também tinha novidades. Ela estava de rolo com um cara da sala de Levi, o Mateus. Levi ficou sem jeito quando Mateus veio "roubá-la" para uma dança. Sentiu que ele também estava roubando sua amiga, sua companheira-tapete.
[...]

continua...

(per)seguidores

No Google+