segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Sorrisos e não ditos.

Em um daqueles momentos de despedida, onde as pessoas se despedem um milhão de vezes:

- Então tchau. Disse Julia, abraçando Samuel mais uma vez.
Samuel entra no carro e espera o irmão, entrar também. O que não acontece. Do lado de fora lá está ela, Julia, sem jeito de se aproximar de Levi, que fica em pé, ainda encostado no carro.
Samuel resolve dá aquela força, da janela do carro:
- Por que você não fala logo Levi?
- Falar o que? Levi retruca, com sua conhecida maneira de se defender das invasões alheias.
- O que você sente pra Julia. Por que você se faz de forte? Não tá vendo a cara de boba dela olhando teu sorriso?
Os dois se envergonham e olham cada um para os joelhos.
- Tchau. Brada Levi, entra no carro e sai. Com o sorriso no rosto.
Julia fica no portão, imaginando o que Levi teria a dizer e lembrando-se do sorriso dele, também com um sorriso no rosto.


(per)seguidores

No Google+